1 em cada 5 profissionais relatam desequilíbrio entre vida pessoal e profissional; entenda  

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por gabriel
em fevereiro 24, 2023

Após a Covid-19 ter gerado vários impactos nos brasileiros, que vão desde as capacidades econômicas até as condições psicológicas e sociais, notou-se que, entre os profissionais, há um grande desequilíbrio entre a vida pessoal e profissional. 

Considerando que o bem-estar dos profissionais é um fator muito importante para as empresas, o Instituto Ipsos realizou uma pesquisa que foi solicitada pela Dasa Empresas. 

A pesquisa foi realizada virtualmente, entre os dias 29 de novembro a 16 de dezembro de 2021, com 1.014 colaboradores de empresas que possuem, ao menos, 400 funcionários. 

No geral, trata-se de dados que deixam explícito como até mesmo uma empresa de projeto elétrico predial que prioriza o bem-estar de um colaborador, consegue tornar o ambiente de trabalho ainda mais saudável. 

Além disso, o levantamento ouviu pessoas das cinco regiões do país, a partir de 18 anos, sendo 51% mulheres e 49% homens. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos. Ou seja, a pesquisa é tão consistente quanto um levantamento topográfico. 

Das pessoas que foram entrevistadas, 4% se consideram pertencentes da classe A, 32% na classe B e 64% na classe C. 

Já o questionário online teve como base três pilares, são eles: comportamento em relação à saúde, plano de saúde e performance das empresas e comunicação. 

De acordo com Rafael Motta, diretor-geral da Dasa Empresas, notou-se que, mesmo com a satisfação geral com a qualidade de vida e saúde, parte dos brasileiros estão insatisfeitos com alguns aspectos. 

Em resumo, trata-se de aspectos que não estão presentes em algumas empresas, mas quando estão presentes em uma consultoria ambiental, por exemplo, os colaboradores tendem a ter uma produtividade maior. 

Um terço dos entrevistados relataram estar insatisfeitos com a qualidade do sono, e quase um quarto está insatisfeito com a alimentação e a disposição e energia para realizar tarefas diárias, enquanto 20% estão insatisfeitos com o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. 

Por fim, 21% das pessoas entrevistadas relatam que estão com uma baixa capacidade de concentração. Ou seja, isso significa que uma simples ação, como pesquisar algo como “telefone voip preço” pode confundir a pessoa. 

Ainda sobre a pesquisa, há alguns fatores que merecem destaque, como os entrevistados da região norte. 40% deles afirmam estar insatisfeitos ou muito insatisfeitos com sua disposição e energia para lidar com as tarefas diárias. 

Por outro lado, temos os entrevistados do Centro-Oeste, que possuem a menor média de descontentamento, com apenas 18%. 

Além desse dado, um a cada três jovens de 18 a 29 anos, relatam ter problemas quando os assuntos são qualidade do sono e disposição e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. 

Cerca de 66% dos entrevistados concordam que deveriam cuidar mais da saúde, entretanto, não conseguem. 

Na maioria das vezes, profissionais que trabalham com câmera de monitoramento, por exemplo, tendem a não ter muito tempo para os cuidados pessoais devido à rotina corrida. 

Problemas considerados atitudinais, como a falta de disciplina (41%) e falta de tempo (29%), seguidos por problemas financeiros (34%), e opções de alimentos prejudiciais à saúde (31%) são citados como os maiores impeditivos. 

Sobre a prevenção de doenças, 58% das pessoas afirmam que só vão ao médico após identificar algum tipo de problema. 

Em um cenário mais positivo, o ideal seria que as pessoas tivessem a mesma vontade de ir ao médico, como tem para saber onde comprar lustres bonito e barato, por exemplo. 

Além disso, menos da metade dos entrevistados fazem exames preventivos uma vez ao ano, sendo que 28% argumentam que possuem receio dessa prática, devido ao medo de descobrir que tem algo. 

Diante desses dados, podemos notar a importância de trazer um alerta para que os players do setor reforcem as políticas de educação, enfatizando a realização de exames corretamente indicados como fator primordial para a prevenção de doenças, e diagnóstico precoce. 

Dessa forma, gaps de cuidado e de rastreio podem ser equacionados de maneira que doenças crônicas ou outras enfermidades possam ser identificadas logo no início, o que contribui para o prognóstico, encurtando a trajetória de superação ou controle das doenças. 

Qual a participação dos gêneros nessa pesquisa?

Em relação aos gêneros, 32% das mulheres disseram estar insatisfeitas ou muito insatisfeitas sobre a sua disposição e energia para lidar com as atividades do dia a dia. Já o público masculino fica com 15%

Vale pontuar também que, 26% das mulheres entrevistadas não estão felizes com as suas capacidades de prestar atenção nas tarefas, incluindo, também, a qualidade de alimentação, frente a 17% dos homens. 

De maneira geral, as mulheres se mostram mais cuidadosas em relação aos cuidados com a saúde. 50% disseram realizar exames preventivos ao menos uma vez por ano, enquanto 44% dos homens dizem seguir essa prática. 

Por outro lado, apenas 38% das mulheres levam seu histórico de saúde e exames preventivos quando vão ao médico. Já os homens, a porcentagem é de 48%. 

Participação da tecnologia

Outro dado interessante apontado pela pesquisa, é a utilização de aplicativos de saúde em todas as camadas sociais, com um certa predominância para os entrevistados da classe A, com 75% de frequência de uso. 

As consultas online, ou telemedicina, também estão mais presentes nas classes economicamente mais altas (56% entre a classe A, e 40% na classe B). 

Contudo, mesmo entre entrevistados que disseram nunca ter realizado consultas através da telemedicina, a maior parte (60%) diz ter a intenção de realizar esse formato de consulta no futuro. 

Na grande maioria das vezes, a satisfação com o uso de tecnologia em prol da saúde é alta, com notas entre 4 e 5, onde 5 é a maior escala. 

Entre aquelas pessoas que possuem um plano de saúde, 66% das pessoas que recebem o benefício integral se dizem satisfeitas ou muito satisfeitas, enquanto 50% dos participantes demonstraram os mesmos níveis de satisfação. 

No geral, as principais razões de insatisfação com os planos de saúde, são:

  • Cobertura;
  • Atendimento demora;
  • Abrangência de exames;
  • Especialidades. 

Sobre a realização dos exames de rotina, 55% dos beneficiados possuem esse tipo de prática, frente a apenas 29% dos que não utilizam o benefício. 

Do grupo de pessoas que possuem um plano de saúde, 24% dizem estar insatisfeitos ou muito insatisfeitos em relação ao equilíbrio entre suas vidas profissional e pessoal, em comparação com 18% de quem possui o benefício. 

Outro dado interessante é que os beneficiários levam mais o histórico ou exames prévios para as consultas médicas. 

Ao avaliar a performance das empresas em relação à oferta de benefícios, é possível notar uma diferença de expectativas quanto à  preocupação com a saúde emocional dos funcionários, e a garantia de um equilíbrio saudável entre a vida profissional e pessoal. 

Ao serem perguntados sobre os dois principais itens que uma empresa deveria oferecer, 39% dos colaboradores disseram que as empresas deveriam oferecer planos de saúde de qualidade, 22% acham mais importante ter um ambiente de trabalho mais seguro. 

Por fim, 19% disseram que a empresa deveria se preocupar mais com a saúde emocional dos funcionários. 

Vale pontuar que, até mesmo uma empresa especializada em vendas de luminária de embutir deve praticar ideias e inserir benefícios para os seus colaboradores, de modo que isso possa refletir no bem-estar dos mesmos e, consequentemente, ter uma produtividade maior. 

Dentre as piores avaliações, temos a capacidade das empresas em ouvir as demandas e críticas dos funcionários sobre temas relacionados à saúde. 

Agora que você já sabe como realmente está o cenário entre a conciliação da vida pessoal, com a vida profissional, elencamos as principais práticas para você conseguir um equilíbrio entre eles. Confira:

Como conquistar o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal?

Para finalizar o artigo, fizemos uma pequena lista de como conseguir o equilíbrio entre a vida pessoal, e profissional. No geral, são 5 práticas, conheça-as:

Priorizar a saúde

É necessário ter uma harmonia entre a vida pessoal e o trabalho, e para isso, cuidar de si próprio é a melhor coisa a se fazer. 

Ou seja, se você trabalha com venda de lonas para coberturas, por exemplo, separe certos momentos da sua vida para cuidar da sua saúde, afinal, como é possível realizar as vendas sem saúde?

Separe um tempo para suas relações

Como você já deve saber, nenhuma pessoa vive apenas de relações profissionais. É interessante, também, preservar um tempo para suas relações pessoais, como família, amigos e relações românticas também. 

Reserve um tempo para você

Reservar um tempo para você, e somente para você, também é importante, principalmente para a sua saúde mental. 

Aprenda coisas novas

Frequentemente estamos aprendendo algo novo no trabalho, mas também é necessário dedicar parte do seu tempo para aprender coisas novas. Adotar essa prática, além de te ajudar, também o tornará mais produtivo. 

Divirta-se

Para finalizar o artigo, saiba que separar momentos para se divertir também é necessário para deixar a sua paz de espírito em dia. Portanto, não deixe de sair com amigos, viva a vida, desfrute dos lazeres. Além disso, procure se divertir no trabalho também. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade