Saúde mental no Brasil: avanços e desafios

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por mateu
em novembro 2, 2023

Descubra como a saúde mental no país está evoluindo, com avanços e desafios, incluindo conscientização, legislação e a busca por bem-estar

A saúde mental é um tema de crescente importância no Brasil, à medida que a sociedade começa a reconhecer a relevância de cuidar do bem-estar psicológico. 

A seguir, conheça os avanços e desafios da saúde mental no país, destacando-se as conquistas recentes e as questões críticas que ainda precisam ser enfrentadas, inclusive a importância dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e a necessidade de um programa de residência no SUS para a formação de profissionais qualificados na área.

Avanços na saúde mental

Conscientização crescente

Nos últimos anos, a conscientização sobre saúde mental no Brasil tem crescido. Campanhas de sensibilização e ações de organizações sem fins lucrativos têm desempenhado papel crucial na redução do estigma associado a problemas de saúde mental. Isso tem encorajado mais pessoas a falarem sobre suas lutas e a procurarem ajuda quando necessário.

Lei 13.935/2019

Um marco importante foi a aprovação da Lei 13.935/2019, que torna obrigatórias avaliações psicológicas e psiquiátricas nas escolas públicas. Essa medida visa identificar precocemente problemas de saúde mental, o que é fundamental para a promoção do bem-estar desde a infância.

Expansão dos serviços de saúde mental

O Brasil tem investido na expansão dos serviços de saúde mental, incluindo a criação e expansão de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Essa iniciativa torna o tratamento mais acessível a uma parcela maior da população, diminuindo as barreiras ao acesso.

Em 2001, havia apenas 1.000 CAPS no Brasil. Em 2023, esse número já ultrapassa os 3.000, cobrindo todas as regiões do país. No começo dos anos 2000, o gasto público com saúde mental representava apenas 0,4% do gasto total com saúde. Em 2023, esse percentual é de 1,2%.

Telemedicina 

A telemedicina tem desempenhado papel vital na melhoria do acesso aos cuidados de saúde mental, especialmente em áreas remotas. A partir de consultas virtuais, mais pessoas podem receber tratamento adequado, o que se tornou ainda mais importante durante a pandemia da covid-19.

Além dos progressos já mencionados, o Brasil registra outros avanços recentes na saúde mental, como:

  • a criação do Programa de Apoio à Atenção Domiciliar em Saúde Mental (PADS-SM), que oferece atendimento domiciliar a pessoas com transtornos mentais;
  • o lançamento do Plano Nacional de Prevenção ao Suicídio, que visa reduzir as taxas de suicídio no país;
  • a criação do Programa de Formação de Psicólogos para a Atenção Básica, que busca aumentar o número de psicólogos na atenção básica.

Avanços na rede privada

Na rede privada também houve progressos notáveis na saúde mental. As operadoras de saúde têm investido cada vez mais em serviços de atenção psicossocial, incluindo psicoterapia, terapia ocupacional e grupos de apoio. 

Em 2023, essas operadoras oferecem uma ampla gama de serviços de saúde mental, incluindo psicoterapia individual e em grupo, terapia ocupacional, grupos de apoio e internação psiquiátrica.

Desafios na saúde mental

Carência de recursos financeiros

Um dos principais desafios é a carência de verbas. Apesar de ter aumentado, o investimento público no setor de saúde mental ainda é insuficiente e limita a capacidade de expandir e melhorar os serviços disponíveis.

Longas filas de espera

Em muitas regiões, as filas de espera para atendimento em serviços de saúde mental são excessivamente longas, levando a atrasos no tratamento e possíveis agravamentos dos problemas de saúde mental dos pacientes.

Persistência do estigma

Apesar dos avanços na conscientização, o estigma em torno da saúde mental ainda é um obstáculo. Muitas pessoas evitam buscar ajuda devido ao medo de discriminação e preconceito.

Falta de profissionais de saúde mental

O Brasil enfrenta uma escassez de profissionais de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras. Isso resulta em uma carga de trabalho pesada para os que estão disponíveis. Aliás, infelizmente, muitas áreas do país não têm acesso a esses serviços.

Problemas relacionados à violência e desigualdade

A violência e a desigualdade social exercem um impacto significativo na saúde mental das pessoas no país. A exposição à violência, a falta de oportunidades e a desigualdade de renda são fatores que contribuem para o agravamento dos problemas de saúde mental.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade