Marketing de influência: o que é e como criar uma boa estratégia

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por lucas
em novembro 29, 2022

As mais diversas formas de publicidade vêm mudando muito ao longo do tempo e sendo desenvolvidas de maneiras cada vez mais inovadoras. Em termos de estratégia, há uma específica que tem se destacado: o marketing de influência.

De acordo com o dicionário Michaelis, a palavra “influência” vem do latim e significa: “poder ou ação que alguém exerce sobre outras pessoas com a capacidade de influenciar o pensamento ou o comportamento sem o uso da força ou da imposição”.

Percebe-se que há uma palavra que aparece e que chama atenção ao explicar o significado de influência, que é poder.

E é exatamente por isso que os profissionais de marketing estão buscando uma estratégia em que pessoas muito influentes divulguem a marca de uma empresa de gaveteiro para arquivo, por exemplo, para trazer mais clientes de forma fácil e rápida.

Afinal, o poder de influenciar as pessoas traz a confiança e a proximidade de quem gosta ou tem admiração pelo influenciador que trouxe a marca para o universo de consumo da pessoa.

Tráfego, para qualquer site e empresa, é o motor de um negócio. Com o aumento da competitividade e dificuldade em falar com as pessoas certas, buscar alternativas de divulgação é muito comum entre empreendedores.

Isso porque a ideia principal é alcançar um público cada vez mais abrangente e que tenha aderência ao negócio, aumentar o reconhecimento da marca, fazendo como uma demarcação de vagas estacionamento no mercado de atuação da companhia.

E nessa diversificação de estratégias, o marketing de influência tem sido um oásis para as empresas porque deu chances de crescimento que, antes, seriam praticamente impossíveis de forma orgânica ou paga.

É válido ressaltar que nem sempre um influenciador é necessariamente um custo. Afinal, pode ser que o combinado seja uma troca de conteúdo e que o influenciador também ganhe seguidores ao longo da jornada e da parceria.

É claro que isso não é o mais comum, mas é interessante saber que é possível fazer combinados sem que seja preciso desembolsar um grande orçamento.

Para grandes empresas que produzem, por exemplo, carburador brosol, o custo de um grande influenciador pode ser alto, porém os retornos muitas vezes compensam.

O que é marketing de influência?

É uma estratégia de marketing bastante promissora que tem como principal atributo colocar uma pessoa importante para um determinado público como “influenciadora”, ou seja, alguém que vai abrir a mente de diversas pessoas em relação a um assunto.

E isso geralmente está ligado a uma marca, um produto, um projeto de uma empresa, entre outros. O que importa saber é que os influenciadores estão muito valorizados no mercado publicitário e, sobretudo, no marketing digital.

Eles aparecem, principalmente, nas redes sociais, como Facebook, Instagram e YouTube. Geralmente, o formato escolhido pelas empresas, que fazem desde extrusão de aluminio a vendas de brinquedos, é por meio de vídeo.

Esse tipo de mídia revela-se uma ótima alternativa para os influenciadores porque dá a capacidade máxima de expressão e explora todo o potencial que uma pessoa tem de convencer e influenciar uma pessoa.

Em texto, que também é um formato de influenciador, há o poder da palavra escrita que não pode ser descartado. Afinal, muitas pessoas preferem leitura em relação aos vídeos.

Mas, quando se trata de divulgação de uma marca de transporte de equipamentos industriais, logo se pensa naquelas propagandas homéricas nos comerciais de televisão

E os influenciadores podem protagonizar uma campanha na TV. Isso é extremamente comum.

No entanto, a estratégia de usar os influenciadores na televisão é muito mais uma questão de awareness de marca, ou seja, de milhões de pessoas conhecerem um negócio, do que necessariamente conversão imediata de interessados para clientes.

O que realmente muda o cenário é o uso dos influenciadores nas redes sociais e, sobretudo, nos vídeos. O poder de influenciar por meio de vídeo é, de fato, cativante.

A imagem, por si só, já tem a característica de prender a atenção. E grande parte dos influenciadores têm o dom de persuadir, de comunicar e de fazer associações que não seriam feitas sozinhas pelo público.

Segundo um dos grandes especialistas em marketing no Brasil, em entrevista à revista Época, o marketing de influência acumulou um crescimento exponencial de dez vezes nos últimos cinco anos.

A previsão é de que, até o fim do ano de 2022, esse nicho movimente cerca de 15 bilhões de dólares no mundo todo. E o número aumentará ainda mais até 2028, pois a previsão é de 84 bilhões de dólares.

E esse investimento por parte das marcas não é à toa. O marketing de influência é uma das formas mais eficazes de trazer público para as empresas, sejam aquelas que fazem perfil U de ferro galvanizado ou qualquer outro tipo de produto.

A eficiência mora na rapidez que essa estratégia costuma ser para converter pessoas que estavam à deriva na internet em clientes assíduos, engajados e até apaixonados pela marca. Os benefícios de contratar influenciadores são muitos, e entre eles estão:

  • Traz tráfego para as marcas;
  • Aumenta a conversão de clientes;
  • Engaja o público;
  • Pode transformar clientes esporádicos em recorrentes.

Esse é o poder que os influenciadores têm sobre as pessoas e que conversa muito com o que a gênese da palavra demonstra no próprio dicionário.

A credibilidade do nome de um influenciador é capaz de aumentar vendas de forma tanto indireta quanto direta, depende muito da estratégia a ser adotada.

Como usar bem os influenciadores?

Antes de falar sobre o que dá certo no marketing de influência, é preciso entender o que as empresas têm feito de errado usando essa estratégia.

Afinal, são muitas marcas utilizando os influenciadores e, só de não fazer da forma errada, já é um controle de danos e de custos que vale a pena não cair.

Geralmente, as empresas contratam um influenciador, pedem para falar sobre um determinado produto, ou até uma piscina de academia, e esperam a “mágica” acontecer.

No entanto, na verdade, essa conversão exponencial não tem dedo apenas da influência de uma pessoa, mas de toda a lógica de uma marca e de uma construção, que, muitas vezes, nem os influenciadores têm noção.

Isso significa que as marcas também têm grande participação no sucesso dos influenciadores, trazendo, inclusive, uma estação de trabalho linear e que faça total sentido para ambas as partes.

Para isso, o jeito certo de fazer um bom marketing de influência é traçar a estratégia do começo ao fim por meio de dois pontos principais, que são:

O foco da estratégia

Nenhuma estratégia de marketing pode ser bem-sucedida se não houver clareza sobre o objetivo ou foco. Ou seja, qual é o principal intuito para que um influenciador comece a divulgar a marca.

Os objetivos podem ser variados, como aumentar a capilaridade da marca no mercado perante o público-alvo, trazer conversões rápidas, trazer tráfego apenas envolvendo bem as pessoas em formato de vídeo, e assim por diante. Afinal, são inúmeros os objetivos.

Contudo, a ideia principal é que, tendo um foco muito claro, o influenciador siga isso e não fuja do real propósito.

Selecionar o influenciador ideal

Criar conteúdo é uma característica de muitas pessoas, que vão desde jornalistas a ex-participantes de reality shows na televisão sem uma profissão mais aparente.

E a escolha dessas pessoas depende muito da estratégia e do foco, por isso a importância do primeiro passo.

É muito comum olhar apenas para o número de seguidores de determinado influenciador em suas redes sociais.

No entanto, isso, na realidade, não quer dizer tanta coisa quanto parece porque diversos influenciadores contratam um serviço de aumentar seguidores de forma paga e não orgânica, o que só faz aumentar o número e não a influência.

Então, é preciso tomar muito cuidado com isso na hora de escolher o influenciador ideal. Para driblar esse risco, o ideal é que se analise outras métricas, como o nível de engajamento que um influenciador traz para o público escolhido.

Pode ser que este criador de conteúdo tenha poucos seguidores, mas que com essas poucas pessoas ele consiga engajar de uma forma que outros com milhões de seguidores não consegue.

Influenciadores menores e de médio porte podem dar um ótimo custo-benefício para a estratégia porque eles podem trazer até mais tráfego do que grandes influenciadores e o combinado contratual será bem mais barato.

Considerações finais

O marketing de influência é, sem dúvida alguma, uma das estratégias mais atuais, modernas e eficazes do mercado atual.

Diversas empresas estão apostando nisso e tendo bons resultados, principalmente quando conseguem escolher as pessoas certas para influenciar e divulgar a marca para o público-alvo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade