Exodontia: Você sabe quando é necessário?

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por admin
em fevereiro 11, 2022

A exodontia é um termo que tem sua derivação em: “exo” que significa “fora” e “dontia”, querendo dizer “dente”. Ou seja, esse é o processo cirúrgico de extração e remoção de um elemento dentário.

Embora seja indicada apenas em última hipótese, essa prática é necessária em diversos casos, seja para correção da estrutura da arcada, seja por motivos patológicos como alguma cárie muito avançada ou infecção periodontal.

No caso da deterioração dos dentes, e, consequentemente, na sua extração devido a uma possível higienização incorreta e acúmulo de bactérias, pode ser recomendada a aplicação de facetas de porcelana antes e depois, sendo possível ver bons resultados.

Portanto, este artigo tem como objetivo informar sobre como funciona o processo de extração do dente, quando ele é necessário, e os cuidados e tratamentos que podem ser realizados antes que o procedimento cirúrgico seja necessário.

Como funciona a cirurgia de remoção do dente

A exodontia é um procedimento que envolve primeiramente um diagnóstico do problema e em muitos casos é possível corrigir problemas com outros procedimentos como uso de aparelho ortodôntico invisível.

Porém, não sendo possível, às vezes torna-se necessário a remoção para uma manutenção da saúde bucal, sendo então realizado da seguinte forma:

  • Exames de raio-X para análise da estrutura da raiz;
  • Uso de anestesia local;
  • Extração com ferramentas específicas;
  • Sutura no alvéolo dentário;
  • Hemostase para facilitar a coagulação imediata;
  • Instruções pós-operatórias.

Após realizar a remoção, em alguns casos talvez ainda haja a necessidade do uso de aparelho dental invisível para que os dentes, agora com espaço, possam se alinhar corretamente.

Quais os tipos mais comuns de exodontia

Sabendo como funciona, vale dizer que também existem alguns tipos, classificados conforme sua especificidade.

A exodontia simples se trata do procedimento em que o dente é removido por não haver mais recuperação, como quando uma cárie se desenvolve de forma profunda, podendo resultar na necrose pulpar, ou seja, morte do tecido do dente chamado de polpa.

A exodontia de raiz, acontece após a remoção do dente e consiste em remover os resquícios de raiz que ficam presos ao tecido gengival.

Existe também a exodontia de dente incluso, semi-incluso ou impactado, que é, em termos gerais, quando um dente está impedido ou com dificuldades de nascer por algum motivo. 

Ao exercer pressão na arcada pode causar má formação do restante, sendo necessário uso de aparelho de porcelana.

Quais os principais motivos que levam a remoção do dente

Como já referido acima, o procedimento de exodontia vem a ser necessário em duas grandes divisões de problemas bucais, sendo eles o estrutural e o patológico.

São diversos casos em que existe um problema de origem estrutural, mas podemos citar um bem conhecido que é o nascimento dos dentes do siso.

Como se trata de um desenvolvimento tardio, na grande maioria dos casos eles acabam por não conseguir posicionar-se corretamente, gerando pressão na arcada dentária e desalinhando os dentes que já estavam posicionados.

Outro problema muito grande são as doenças periodontais, infecções que atingem a gengiva e causam o apodrecimento das estruturas ósseas.

Esse tipo de doença é um dos mais perigosos para a saúde bucal, pois existem circunstâncias em que a deterioração é tão grave que dificulta o processo de implantes.

Cuidados que evitam a necessidade de extração

Portanto, é sempre indicado o tratamento preventivo como forma de evitar quaisquer tipos de doenças bucais.

A higienização deve ser feita todos os dias e de forma correta, com o uso de escova com cerdas novas, uso de fio dental e alinhar isso a uma rotina de consultas com o profissional odontológico.

Vale lembrar que quem faz uso de lente nos dentes deve ter o cuidado redobrado, pois por ser uma camada externa aderida aos dentes, pode ser um local de acúmulo de bactérias.

O especialista é capaz de identificar problemas no seu início, tornando o tratamento muitas vezes menos invasivo.

Como proceder com as contraindicações

Ainda é importante atentar para o fato de alguns casos possuírem contraindicações, como pessoas que estão com diabetes não compensada, pacientes imunossuprimidos, pacientes com anemia grave, doenças hemorrágicas sem controle prévio.

Sendo assim, sempre antes de se realizar um procedimento cirúrgico qualquer, é necessário que se faça uma bateria de exames que podem apontar para possíveis impedimentos, que deverão ser tratados antes da cirurgia dental.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade