Estratégia de gamificação: envolva seu público e impulsione sua marca

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por karine.menezes
em julho 28, 2023

Saber como e qual é o momento certo para interagir com um público no mundo digital pode ser muito importante para uma marca. A gamificação desses processos pode, nesse caso, auxiliar na criação de uma série de interações essenciais com os clientes.

O mundo empresarial sempre criou uma série de ferramentas e estratégias para ajudar na qualificação do contato com o público, o que tornou o mercado cada vez mais complexo do ponto de vista técnico.

Esse é um recurso que ganhou bastante força a partir do desenvolvimento das possibilidades de crescimento trazidas pelas indústrias, mas foi no século XX que algumas estruturas de estratégias passaram a ganhar ainda mais destaque.

O marketing, nesse caso, foi um dos pontos mais importantes, uma vez que ele conseguiu entender o mercado em sua complexidade e propor soluções que pudessem interagir com as mais diversas demandas empresariais.

Isso pode ser percebido a partir das diferentes abordagens que ele conseguiu trazer diante das evoluções que cada mídia trouxe, dando origem a linguagens e possibilidades que, até então, não eram nem cogitadas pelas empresas.

No rádio, os spots e jingles conseguiram trazer para dentro da casa do consumidor alguns valores essenciais das empresas, ajudando na hora de pensar em uma série de estratégias que são importantes.

Com a televisão, esse recurso ganhou ainda mais ampliação, já que ela conseguia trazer não só o texto como, também, a imagem do produto para as telas, gerando uma atração bastante forte.

No entanto, é preciso entender que o mercado sempre anda pra frente e, em um dado momento, ele precisou entender que era preciso ir além, principalmente do ponto de vista da experiência do cliente como um todo.

Experiência do cliente e o marketing

Desde seu início, o marketing buscou gerar algum tipo de engajamento do ponto de vista do cliente, o que trouxe alguns recursos essenciais para a pauta do dia das empresas.

Entretanto, é preciso entender que as possibilidades de mídia da época acabavam resumindo o receptor da mensagem como um simples indivíduo a ser impactado, sem possibilitar interação que fosse além do seu consumo.

Esse momento ficou conhecido como marketing 1.0, conceito criado por Philip Kotler a fim de delimitar um marco inicial para as estratégias de atuação de mercado.

Portanto, se uma empresa que faz pintura de fachada de casas estivesse buscando anunciar em uma revista de construção civil, o único número que ela poderia entender era, justamente, a elevação da contratação do serviço.

Contudo, na década de 1990, esse fator mudou drasticamente, uma vez que o mundo digital estava prometendo algumas mudanças, o que fez com que as empresas abrissem seus olhos para esse tipo de orientação de crescimento.

Dessa forma, tornou-se muito comum que as pesquisas de comportamento e de opinião do consumidor fizessem parte das reuniões de concepção de produtos e de estratégias de comunicação.

É preciso entender que, com a promessa de que o mundo digital traria novas estratégias, o mercado já começou a se movimentar, trazendo o marketing 2.0 para a ordem do dia nesse sentido.

Assim, o contato das companhias passou a ser cada vez mais próximo, garantindo que, por exemplo, houvesse uma participação maior dos clientes na hora de conceber um novo modelo de camera de segurança residencial com gravação.

Seja como for, esse pode ser considerado um dos pontos iniciais do marketing se preocupando com a experiência do cliente, o que ganhou novos desdobramentos em um futuro não muito distante.

Como se dá a experiência do cliente atualmente?

Com o desenvolvimento das ferramentas digitais, tornou-se bastante comum a criação de uma série de recursos que pudessem fazer da experiência do cliente a melhor possível.

Isso aconteceu porque a autonomia do ponto de vista do consumo ganhou uma série de desdobramentos, o que ajudou a qualificar a vida de quem está buscando comprar um produto ou contratar um serviço.

Quando um usuário pesquisa por assistência técnica nobreak APC, ele, certamente, irá fazer uma pesquisa grande até contratar o serviço, uma vez que há uma série de opções.

Nesse sentido, além de criar uma lógica de atração, é preciso que a empresa em questão consiga fazer com que a sua experiência seja a melhor possível, auxiliando o cliente em seus momentos mais críticos.

Por causa disso, há uma série de estratégias que são muito importantes e que pertencem ao universo de customer experience.

Essa é uma estratégia que tem como base a implementação de métricas que conseguem entender qual é a opinião dos clientes a respeito de alguns processos e propor melhorias em tempo real.

Então, quando o atendimento de um site de higienização bancos automotivos é elogiado, isso demonstra a capacidade que aquela empresa tem de trazer satisfação, o que pode orientar uma melhoria no mesmo caminho.

O que é gamificação?

Com base na melhoria da experiência do cliente, alguns recursos passaram a ser adotados pelas empresas para que, assim, elas conseguissem estabelecer alguns mecanismos que ajudassem na hora de vender.

A gamificação dos processos foi um dos grandes saltos qualitativos do mercado, já que ela consegue deixar a experiência muito mais agradável, seja do ponto de vista de uma escola ou, até mesmo, do próprio site.

De um ponto de vista técnico, essa é uma funcionalidade criada por um design de games que vai trazer alguns elementos de jogo para elaborações que, normalmente, não interagem a primeiro momento com isso.

Isso vai desde um aplicativo gamificado para facilitar a compreensão de um curso de tosa e banho até outros elementos que podem fazer com que o cliente tenha uma retenção maior em um site.

Essa é uma estratégia que pode trazer alguns benefícios importantes que precisam ser considerados:

  • Maior envolvimento;
  • Retenção de clientes;
  • Foco na experiência;
  • Credibilização da marca.

Todos esses pontos podem ser essenciais para uma empresa que deseja investir na melhoria da experiência do cliente.

Onde aplicar a gamificação?

Há uma série de elementos no mercado que podem se beneficiar de uma lógica de gamificação, o que pode ser um recurso bastante importante.

Plataformas de treinamento

Todo mundo que já teve que passar por algum tipo de treinamento em uma empresa sabe que pode haver alguns desafios do ponto de vista da atenção.

Para auxiliar o entendimento dos funcionários podemos utilizar a gamificação em processos de treinamento, auxiliando funcionários de clínicas de estética a entender os benefícios da aplicação de máscara de gelo para o rosto e para a estrutura muscular.

Plataformas de ensino

Com a alta do ensino à distância, é bastante comum entender a gamificação como uma grande aliada para manter o engajamento dos alunos.

Fazer uma programação de jogos que podem interagir com atividades e provas pode ser essencial para auxiliar no aprendizado.

Maiores desafios da gamificação

Hoje em dia, é muito difícil encontrar uma pessoa que não tenha jogado ao menos algum tipo de jogo de celular.

Por esse motivo, a gamificação acaba sendo um fator bastante familiar no cotidiano das pessoas.

Essa é uma ferramenta que pode ser utilizada para os mais diversos fins, como é o caso de um cuidador de pessoas com deficiência que pode se apoiar em um jogo para criar determinados estímulos.

No entanto, há alguns desafios que precisam ser superados dentro dessa lógica de programação:

  • Produção de conteúdos interessantes;
  • Conexão;
  • Otimização de dispositivos;
  • Acessibilidade.

Todos esses são pontos que ainda precisam ser superados, demonstrando um apelo cada vez mais forte para uma programação responsável.

Como criar uma estratégia de gamificação?

A gamificação pode trazer uma série de benefícios e, por conta disso, é preciso pensar em como estruturar uma dinâmica como essa.

Conhecer o público

Antes de qualquer coisa, a empresa em questão precisa conhecer o seu público para que, assim, haja uma compreensão de quais elementos podem gerar engajamento.

Criar uma história

A técnica de storytelling é um dos recursos mais importantes para gerar engajamento no mercado e, por conta disso, é preciso entender como criar uma estratégia que consiga dar conta desses aspectos em um jogo.

Esse é um recurso que pode mostrar os benefícios e a segurança de um adesivo anti trombada, além de outros pontos que podem ajudar a criar outras percepções a respeito da acessibilidade de um ambiente.

Classificação

É preciso entender que todo jogo pode garantir um estímulo ainda maior se tiver algum sistema de classificação, o que pode fazer com que as pessoas tenham um engajamento ainda maior.

Mensurar a estratégia

Seja qual for o ambiente implementado, é preciso que haja uma aplicação de indicadores que consigam lidar de forma bastante sofisticada com esses mecanismos.

Nesse caso, é possível entender qual é o grau de satisfação dos funcionários de uma empresa com o treinamento e o que pode melhorar.

Além disso, do ponto de vista de marketing, é fundamental entender se um jogo está conseguindo garantir retenção e conversão.

Considerações finais

A experiência do cliente sempre foi um fator bastante importante para as empresas de uma forma geral.

No entanto, foi com a chegada do mundo digital que tudo isso mudou e ganhou novos desdobramentos.

Pensar, por exemplo, na gamificação da experiência passou a ser um fator determinante para o sucesso de algumas marcas.

Isso porque essa é uma estratégia que consegue qualificar de forma quase que definitiva a experiência obtida pelo consumidor.

Dessa forma, o tão sonhado engajamento pode se tornar um fator qualificado no ambiente digital da marca.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade