Como dar “a volta por cima” depois de ser demitido?

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por admin
em julho 21, 2021

Às vezes, ser demitido abre espaço para que embarquemos em novas empreitadas.

Segundo dados do IBGE, a taxa de desemprego no primeiro trimestre de 2021 alcançou os preocupantes 14,7% da população.

Desemprego, dentro da definição fornecida pelo Instituto, diz respeito às pessoas que possuem idade para trabalhar (acima de 14 anos) que não estão trabalhando, mas estão disponíveis e buscam trabalho.

O contexto, aliado às dificuldades da pandemia, às oscilações econômicas e ao aumento – quase que vertiginoso – da inflação, tem gerado imensa preocupação. Espera-se uma recuperação econômica quando a covid-19 estiver superada e os desgastes políticos e econômicos aliviarem, mas isso ainda pode levar tempo.

Se você passou recentemente por um processo de demissão, entenda que existe uma enorme possibilidade de que isso não tenha nada a ver com a sua capacidade profissional ou com o seu talento.

Por conta de tudo o que já foi citado, muitas empresas estão revendo o quadro de funcionários – o que, como podemos imaginar, acaba fazendo com que profissionais extremamente capazes tenham que ser dispensados.

Embora seja desagradável, especialmente se você foi pego de surpresa, não se desespere. A seguir, traremos dicas para que você possa se reorganizar e, como dizem, “dar a volta por cima”.

Demissão: o que fazer?

Se você não foi demitido por justa causa ou em meio a conflitos jurídicos e similares, a situação fica um pouco mais leve para você. Com o dinheiro do seguro-desemprego, caso se aplique, você pode se organizar enquanto não volta a trabalhar em um local.

Isso significa que você deve esperar para procurar uma vaga? Não necessariamente. Se você se sente física e mentalmente esgotado, pode tirar alguns dias para descansar, dormir e voltar para o seu centro. Caso não seja o caso, você pode começar a se preparar para novas oportunidades desde já.

Primeiro: pense sobre o que você deseja fazer a partir dessa demissão. Você estava satisfeito com o seu local de trabalho? O dia a dia era estressante, com um ambiente organizacional tóxico e uma verticalidade nas relações que tornava impossível o diálogo?

Seja sincero nas suas avaliações. Quando você olha para o que funcionava e o que não funcionava, você consegue entender qual era o seu papel “no todo” e o que você pode fazer para não passar novamente por situações que, de alguma forma, diminuíram a sua potência e tranquilidade.

Feito isso, vamos para a segunda etapa.

Prepare um novo currículo

Se você ficou muito tempo em um lugar, é possível que o seu currículo não esteja atualizado. Reveja-o. O que você aprendeu desde a última vez? O seu nível de línguas cresceu? Você ganhou algum prêmio, deu algum workshop, participou de algum evento que lhe deu certificado?

Adicione tudo o que julgar relevante dentro da sua área de atuação (e, claro, não invente nada).

Da mesma forma, tente não colocar no currículo coisas que não têm a ver com a sua profissão – se você é redator, por exemplo, não faz muito sentido falar sobre um curso de confeitaria no seu currículo, a menos que você escreva para uma revista de comida ou especificamente sobre o assunto.

Caso não seja bom no design, aposte em plataformas como o Canva, que fornecem modelos de currículo excepcionais e fáceis de personalizar.

Pesquise as empresas e seus benefícios

No processo de envio de currículo, seja sincero com relação às suas capacidades. O que queremos dizer com isso? Se você não sabe programar, não diga que sabe, nem envie seu material para uma vaga do gênero. Além de desperdiçar o tempo do RH, você pode ficar marcado de forma bem pouco positiva por ali.

Achou uma vaga que parece boa? Não se esqueça de olhar os benefícios corporativos: previdência empresarial, plano de saúde, plano odontológico e seguro de vida são possibilidades atraentes, e definitivamente fazem com que a companhia se torne competitiva.

Uma dica: se você sempre quis fazer parte do quadro de funcionários de uma empresa, mas ela não está com as vagas abertas, pense sobre a possibilidade de enviar o seu currículo mesmo assim.

Diga, no corpo do e-mail, que tem imenso interesse em contribuir com o crescimento da companhia, que está disponível para começo imediato e que, caso não seja possível participar de um processo seletivo nesse momento, você gostaria de ser considerado.

Demonstrar interesse não é rude! Pelo contrário: às vezes, você pode dar sorte e acabar sendo empregado mais cedo.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade