A automedicação pode prejudicar a saúde bucal?

Tempo de leitura: 6 min

Escrito por admin
em agosto 9, 2022

Vai tomar algum remédio sem prescrição médica para aliviar um probleminha de dor de cabeça, cólica ou febre. Quem nunca né?  Pode até parecer um ato inofensivo, porém entenda os riscos da automedicação e como ela está relacionada com a saúde bucal.

Automedicação

A maioria das pessoas leva uma vida super corrida e cheia de compromissos. Então, sempre encontra um jeito de resolver as coisas e o alívio de dores, que surgem através de um estresse diário.  

Algumas pessoas inclusive podem até imaginar que um remédio de dor de cabeça não faz mal, e é apenas um antiácido.

Entretanto, não é bem assim que funciona, a automedicação é complicada e deve ser tratada com bastante preocupação. 

Ou seja, existe um modo de se automedicar quando é apenas uma leve dor de cabeça ou cólicas abdominais.

O problema está quando a automedicação vira um hábito, gerando complicações ainda maiores, possibilitando o surgimento de outras doenças. 

Como por exemplo, o agravamento dos efeitos colaterais dos medicamentos ou até mesmo contribuindo com a formação das superbactérias.

 Por que essa prática está se tornando tão comum?

 De uma certa forma, vários fatores podem colaborar para a automedicação, como:

  • Dificuldade de acesso aos serviços de saúde;
  • Facilidade de encontrar tais medicamentos em qualquer lugar;
  • Falta de conhecimento sobre os efeitos não desejáveis;
  • Farmácias com as vendas sem receita;
  • Vida corrida.

Todos esses fatores permitem que as pessoas se automedicam com frequência.

A dificuldade não está apenas na automedicação, mas também quando a pessoa começa a aumentar as doses do remédio, porque pensa que vai fazer mais efeito. 

Quando o remédio é utilizado de forma incorreta, outros problemas podem surgir como,  reações alérgicas, dependência química e o surgimento de novas doenças e até mesmo a  morte. 

  1. Dor de dente

É sempre importante saber o que está causando a dor de dente. A automedicação pode ajudar somente nos primeiros momentos, porém na persistência do incômodo, é necessário ir até uma clínica.

Além disso, a dor de dente pode ser muito comum na infância. Ou seja, sempre que a criança demonstrar qualquer incômodo, leve ela em uma clínica odontológica infantil.

  1. Estrutura do dente

O dente é dividido em duas partes: a coroa, que é aquela em que é possível ver quando abre a boca, e está sobre a gengiva. 

A outra é a raiz do dente, em que não é possível ver e fica em contato com o osso. 

Existem três partes do dente, a polpa, que é um nervo, sendo a parte viva, responsável pela sensibilidade.

A dentina, que envolve toda essa polpa e também é bem sensível por ter uma comunicação direta. Por cima dela, tem o esmalte que fica na parte branca.

Quando o esmalte e a gengiva forem violados, irá expor a dentina e assim, o paciente passa a sentir dor.

Motivos principais para a dor de dente

Existem três fatores que contribuem para o aparecimento dessa dor de dente.

Com isso, existe também uma carga exagerada da mordida, ou em uma recessão da gengiva e da cárie.

É importante que a cárie seja tratada no seu estágio inicial, porque poderá ser resolvido através de uma restauração em resina. 

Caso tenha o avanço, será somente resolvido através de um tratamento de canal ou extração ou perda de dente. Nesse caso, é necessário um acompanhamento com o dentista especialista em prótese dentária.

  1. Recessão Gengival

Caso você faça a escovação dos seus dentes com muita força e usando escovas velhas, pelo acúmulo de bactérias na superfície dela. 

Com isso, a gengiva pode ficar retraída e avermelhada, podendo ficar retraída e avermelhada, expondo até mesmo a raiz do dente.

Normalmente, essas pessoas têm sensibilidade ou alguma dor ao ingerir alguns alimentos, como:

  • Sorvete;
  • Bebidas geladas;
  • Café quente;
  • Doces.

O contato desses alimentos com a dentina que está exposta, irá gerar a dor.

  1. Cárie

O principal causador da dor de dente é a cárie, que consiste no acúmulo de bactérias, na superfície dele. 

Essas bactérias dissolvem o esmalte que protege o dente, e a pessoa sente sensibilidade.

Quando a cárie se desenvolver e estiver em contato com a polpa, o dente irá morrer, e assim, a infecção pode ter acesso a corrente sanguínea, além de se comunicar com o rosto.

Por isso, é importante não chegar nesse ponto e tratar ela o mais rápido antes que cause uma ausência do elemento dentário.

Em relação à ausência do elemento, o tratamento pode ser feito através de um dentista especializado em prótese.

  1. Perda de dente

Caso ocorra a perda do dente, é importante ir imediatamente ao profissional de implantes, porque pode gerar consequências graves.

Durante a mastigação, os alimentos pressionam a gengiva. Com isso, o outro lado pode ser mais exigido, resultando em um desgaste.

Os dentes vizinhos e movimentos por causa da falha, inclinando e crescendo, surgem espaços entre eles e podem gerar ainda mais cáries.

Além disso, os dentes podem ficar amolecidos. Por isso, é muito importante fazer um tratamento com o dentista implantes.

Automedicação durante uma dor de dente

A metade de um estímulo para matar uma célula e começa a sentir dor. Então, se você está sentindo algum incômodo, é o seu organismo que está dando algum sinal de que tem algo errado.

Caso esteja com uma dor de dente e vai mascarando com o remédio, você só está prejudicando a si mesmo e com isso, ninguém pode te ajudar. Nesse caso, é preciso ir até uma clínica de dentista.

Quando estiver sentindo essa dor, deixe que o dentista examine e observe o que está acontecendo.

Portanto, a menor dor que você tiver, é importante ir até o profissional, porque ele poderá fazer um tratamento rápido, barato e eficaz.

Qualquer identificação de problema ou bucal, é necessário ir ao dentista.

Quais são os riscos da automedicação?

Durante uma dor de dente, é comum que ela esteja tão forte que o paciente passe a imaginar que o remédio deixou de fazer efeito.

Com esse pensamento, o paciente busca potencializar o efeito para melhorar a dor. Desse modo, aumentam a dose sem a orientação de um profissional.

Os remédios sem prescrição costumam ser recomendados por amigos, familiares e vizinhos que desconhecem os riscos de defeitos lesivos.

Podem até mascarar doenças e causar enfermidades sérias e irreversíveis, até mesmo anulando o efeito de outros medicamentos.

Existem alguns anti-inflamatórios, que são os mais consumidos, pelo seu efeito rápido e principalmente por qualquer dor de dente.

Ambos podem causar alguns efeitos colaterais, como:

  • Sangramentos;
  • Hemorragias;
  • Suficiência Renal;
  • Gastrite;
  • Problemas nos dentes.

Em algumas ocasiões, podem bloquear o sistema de defesa do corpo, fazendo com que o organismo e a saúde bucal fiquem mais suscetíveis a alguma infecção. 

No geral, não há necessidade de fazer uso constante de diversos remédios para combater os males comuns do dia a dia. Então, o ideal é sempre passar em profissionais e não se automedicar de forma compulsiva.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade